Crédito consignado: Aumento da margem consignável. Resolução!

Crédito consignado: Aumento da margem consignável. Resolução!

Crédito consignado: Aumento da margem consignável ajuda na liberação de valores mais altos para aposentados e pensionistas. Veja a resolução!

O crédito cons­­­­­­­­­ignado é uma modalidade de empréstimo muito considerada no mercado financeiro. Desde seu lançamento, é conceituado em níveis de adesão e de evitar inadimplência. É uma modalidade confiável para a instituição financeira, o que resulta em taxas menores e acordos interessantes para os dois lados.

O crédito consignado, por ser descontado na folha de pagamento (antes mesmo de cair na conta bancária), é um crédito estável. Mas e quando essa estabilidade é arruinada ou prejudicada por uma ”calamidade pública”? Aí o governo intervém com propostas para auxiliar e ajudar em serviços essenciais para a qualidade de vida das pessoas.

O aumento da margem consignável do crédito consignado é uma proposta que se aplica em ajudar os grupos:

Aposentados e pensionistas

As mudanças na contratação do crédito consignado como:

  • alteração no valor da taxa de juros (2,05% ao mês),
  • ampliação da margem consignável(35% a 40%) e
  • aumento do prazo para pagamento(84 para 90 meses).

inicialmente, não se aplicam aos demais convênios.

  • Militares das forças armadas, etc.
  • Servidores públicos (Federais, estaduais e municipais).
  • Trabalhadores de empresas privadas (Regime CLT).

O site da câmara dos deputados abriu uma votação pública sobre a sociedade ser a favor ou contra o aumento da margem do crédito consignado.

Fonte: camara.leg.br

Como funciona o aumento da margem consignável?

Com o aumento da margem consignável, ”afrouxa” a análise do crédito consignado, que aumenta o valor mensal que poderá ser acordado. Consequentemente, com a mudança da margem, haverá a liberação de valores mais altos nos pedidos de crédito consignado.

O aumento da margem consignável está em 30% para 35%. Enquanto a margem para cartão permanece em 5%.

Quanto é 35% do salário mínimo? Qual o valor da minha margem consignável?

Para calcular a margem consignável atual, calcule o valor do seu benefício/salário dividido por 30%. Esta é a porcentagem vigente até a data atual (10/6). O resultado será a margem para parcelas do crédito consignado, podendo ser somado com os 5% da margem consignável para cartão (que não é descontado em folha).

Salário: R$ 1.045,00

  • 35% de 1.045,00 = 365,75
  • 5% (do cartão consignável) de 1.045,00 = 52,25.
  • Total do crédito consignado para salário/benefício mínimo em caso de aumento da margem: R$418,27.

R$ 2.000,00

  • Margem consignável para empréstimo (35%)=  R$ 700,00
  • Margem consignável para cartão (5%)=  R$ 100,00
  • Total de parcelas do crédito consignado para salário de dois mil reais em caso de aumento da margem: R$800,00.

R$ 6.000,00.

  • Margem consignável para empréstimo (35%)= R$ 2.100,00
  • Margem consignável para cartão (5%)= R$ 300,00
  • Margem total de parcelas do crédito consignado para salário de seis mil reais em caso de aumento da margem: R$2.400,00.

Como está o processo do aumento da margem consignável?

No momento (09/06/2020) o texto está em análise e em breve seguirá para aprovação, juntamente com as outras propostas incluídas na MP.

A validade do aumento da margem é até o dia 31/12/2020.

  • 13/05:  Requerimento à inclusão na Ordem do Dia pelo Deputado Jesus Sérgio (PDT-AC);
  • 20/05: Narlon Gutierre Nogueira, Secretário de Previdência do Ministério da Economia, afirmou que até então não havia entendimento do Governo sobre a priorização das discussões;
  • 20/05: Em paralelo, iniciaram-se as articulações sobre possíveis instrumentos legais para aceleração a votação;
  • 22/05: iniciam as conversas com o relator da MP 936/2020 sobre a inclusão do PL no mesmo projeto, para acelerar o processo de aprovação;
  • 29/05: a votação da MP 936/2020 que incluía o PL 2017/2020 foi iniciada e concluída. A versão final do texto foi aprovada no mesmo dia.
  • Próxima etapa: votação no Senado;
  • Etapa final: sanção ou veto do Presidente da República.

Medidas em caso de demissão durante o prazo do crédito consignado:

Se aprovada, a MP previne que caso o trabalhador seja demitido até o dia 31/12/2020, será mantido o valor total-original da dívida, ou seja, não somará juros. Está em avaliação também o fator de manter a mesma taxa de juros do crédito consignado em transferência para empréstimo pessoal. (Neste caso, não haveria mais desconto em folha, e sim pagamento ‘’manual’’).

Na publicação da Câmara, notifica que esta medida valerá enquanto prosseguir a situação de ”calamidade pública”.

Se o aumento da margem consignável for aprovado, será divulgado oficialmente no Diário Oficial da União (DOU), e passará a ter validade e seus efeitos contam após a data de publicação.

Resolução do aumento da margem consignável.

O artigo referente à mudança da margem consignável foi reprovado. Apesar da MP 936 ter sido aprovada pelo Senado.

Apesar do que foi explicado no gráfico de ‘votação pública’ acima, os senadores justificaram a reprovação do aumento da margem para crédito consignado por conta da inadimplência poder aumentar consideravelmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *