­­Open banking – O que é?

­­Open banking – O que é?

O termo e conceito ‘’Open Banking’’, na sua forma mais básica, significa um novo sistema, principalmente para o consumidor: Que ele tenha mais liberdade para levar suas informações financeiras para onde quiser e ter um leque maior para análise e contratação de serviços.

Além disso, nas instituições de todo o mercado financeiro, deve haver uma camada (aplicação) de tecnologia padronizada – Padronizando, assim, a portabilidade de dados.

Essa tecnologia padronizada chama-se API.

Exemplos de API

Google Maps – Qualquer site pode utilizar o Maps em sua página como forma de endereço, contato, etc. É a integração do serviço e informações do Maps a qualquer página da Web.

Redes sociais – Formas integradas de cadastro. Ou seja, ao invés de fazer um cadastro inteiro desde o começo, com a API das redes você pode reutilizar informações contidas na rede social escolhida para criar um cadastro na página.

Grande parte do conceito de Open Banking se apoia na aplicação das APIs abertas. Que são tecnologias padronizadas de portabilidade de dados. Assim, a vantagem tem mão dupla – É possível compartilhar históricos de pagamentos para conseguir melhores taxas – E também utilizar as APIs para integrar um sistema de serviços e produtos ao redor das empresas.

Open Banking é seguro?

Sim. Assim como os serviços online de pagamento, transferências e etc. Além da autonomia ao cliente dada pelas premissas do Open Banking, ou seja, é ele quem decide se quer que tenha as informações compartilhadas com outras empresas.

Então, além de plataformas seguras, a portabilidade de informações não é automática e depende do consenso de cada consumidor. 

Open Banking pelo mundo

O Reino Unido já utiliza o modelo OpenBanking.

Estados Unidos, Japão, Hong-Kong, União Europeia, Austrália, além do Brasil, estudam as regulamentações para utilizar este sistema.

Como o OpenBanking funciona?

Para os consumidores, significa um processo de dar utilidade e valor a todo o histórico de crédito ou serviços financeiros como – Extratos bancários, contas quitadas, faturas quitadas, salários depositados, prestações – Todo esse perfil de gastos e pontualidade de pagamento será útil não só ao banco, mas a qualquer instituição que possa analisá-los para conceder um valor solicitado ou uma proposta personalizada.

Vantagens

Facilidade para migrar de instituições, serviços ou adquirir um novo produto do mercado financeiro. (Investimentos, empréstimos, cartões, etc.).

Serviços personalizados de acordo com análise do perfil (histórico de crédito).

Análise mais profunda e, em consequência, taxas mais baixas, valores mais altos, limites adequados.

Aumento da velocidade e facilidade por conta das integrações.

Autonomia para clientes.

Aumentar a oferta de produtos e serviços.

No Brasil sua regulamentação está em fase de estudo. Questões como segurança, órgãos e mecanismos de controle e regras para impedir o uso de informações de clientes que negaram o compartilhamento ou portabilidades de históricos de crédito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *